Não é fácil essa vida de empresário, mas tem uns por aí que fazem acontecer - Estudos de Caso

Por Cristiane Campanholo

Eu estava lendo os comentários de um anúncio no Facebook outro dia e me espantei com o que as pessoas lá falavam. O anúncio falava em começar a empreender. As pessoas estavam respondendo que empreender no Brasil é impossível, que a carga tributária é um horror, que não se conseguem pessoas para trabalhar, que tudo é extremamente difícil e sacrificante.


Será que é assim mesmo?  


Bem, realmente, empreender não é para qualquer um, mas como dizia a minha mãe “Você não é qualquer uma”. O primeiro desafio que passamos na vida foi na época da concepção, onde, diante de milhões de espermatozóides, conseguimos vencer a corrida pela vida. O segundo desafio foi nascer, crescer e nos tornarmos adultos. Quantos tombos e troféus nesta jornada, não é? E, depois de tudo isso, o grandioso desafio foi aceitar empreender e abrir um negócio. E está feito. Alguns com muitos anos de experiência, outros com menos tempo, alguns trabalhando muito e outros nem tanto assim. 


Se você é aquele tipo de pessoa que não se contenta com pouco, que acredita que pode melhorar a cada dia, que os desafios te movem, então continue a ler este texto.


Eu te digo que, na minha jornada como empreendedora, durante muito tempo eu pensei “Pôxa! Eu faço tudo direito, estudo mais que a média, faço meu trabalho perfeito… Mas tem gente que tem muito mais resultado do que eu!”. E eu olhava resultado financeiro, outro dia reconhecimento, outro dia liderança, produtividade ou qualquer coisa que eu pensasse que eu era pior do que os outros. 


Mas o que fazia eu ficar minimizando minhas capacidades? Eu estar toda hora me comparando com os outros. Tem coisas que precisamos ser bons para tocar nossas empresas, aprender mesmo, outras coisas, precisamos passar para outras pessoas fazerem. 


Se tentarmos fazer tudo sozinhos, vamos nos sentir como o pato: nada, corre, voa e não faz nenhuma dessas coisas direito. Como assim? Quem nada melhor, um pato ou um peixe? Quem corre melhor, um pato ou uma cheeta? Quem voa melhor, um pato ou uma águia? Se entrarmos nesse jogo de ficar olhando para a concorrência o tempo todo, ficamos com a síndrome do pato.


E sabe o que eu fiz? Escolhi. Decidi fazer o meu trabalho e a gestão da minha empresa da melhor maneira que eu podia naquele momento, sem olhar para a concorrência. Dei o meu melhor, dentro do que podia, dentro do que sabia no momento. Tem uma frase que me ajudou muito: “Feito é melhor do que perfeito”, porque perfeição não existe. Mas também, nada de fazer trabalho “porco”, porque ninguém iria gostar, nem mesmo eu.

Depois, de tempos em tempos, rodava o PDCA, que é:

  • P: do verbo “Plan”, ou planejar.

  • D: do verbo “Do”, fazer ou executar.

  • C: do verbo “Check”, checar, analisar ou verificar.

  • A: do verbo “Action”, agir de forma a corrigir eventuais erros ou falhas.


Desta forma, era planejado (ou um jeito de fazer algo era criado) e era feito (melhor do que perfeito), depois era verificado como foi o resultado e aí é que vinha o “pulo do gato”, que era o “A”, de ação, para poder melhorar o que era feito para a próxima vez.


Isso me ajudou a não parar no meio porque não sabia como fazer. Na verdade, eu comecei a fazer, depois ia melhorando a cada ciclo. Pronto, simples assim. E tudo o que era feito, era anotado, analisado e eram criados processos. Sim, sou preguiçosa do bem e não gosto de estar errando toda hora e nem estar pensando sempre em como deve ser feito.


E sabe o que mais? Ah… Antes de eu te falar o que mais, vou te contar sobre algumas pessoas que fizeram acontecer e, por terem tomado algumas atitudes em suas empresas, tiveram resultados fora da curva em várias áreas diferentes de seus negócios, cada um em um ramo de atividades diferente.


Ela agora fala que tem uma empresa


Antes ela era uma advogada como outros tantos advogados, agora tem uma empresa de advocacia. É uma advogada apaixonada pelo que faz e ama entregar conhecimento para prevenir os empresários em relação a causas trabalhistas. Agora ela trabalha em equipe, colocou outro tipo de processo a funcionar: os processos de gestão, a documentação que faz ela poder dividir o trabalho e ser tão bem feito ou até melhor feito do que era antes:


Jennifer


Ele tem uma máquina de vendas


Antes ele e a sócia é que faziam 80% das vendas da empresa, a equipe produzia pouco em relação ao que era necessário. Agora, aprenderam a gerenciar a equipe, criaram uma máquina de vendas e podem duplicar o “poder de fogo” quando quiserem
. Hoje ele atua 95% do seu tempo apenas pensando o negócio:


Roberto


E
la trabalhava 14 horas por dia, agora está abrindo uma filial


Antes ela tinha uma rotatividade enorme de pessoas, que não paravam de jeito algum na empresa. Agora, uma equipe forte, estável, que sabe o que precisa ser feito. Vai abrir outra unidade, porque sabe que é uma “Chefe desnecessária em sua empresa”, porque está tudo sistematizado:


Ivanete


Ela está empoderada e de posse do lugar mais importante da empresa


Antes ela trabalhava até 14 horas por dia no operacional e quando alguém não sabia como fazer, ela ia lá e fazia. Pronto, resolvido! A sobrecarga de trabalho era enorme. Ela aprendeu a trabalhar pela empresa e não na empresa, hoje tem uma equipe que faz acontecer e tem orgulho de trabalhar lá. E pode tirar várias férias no ano, com a empresa funcionando a pleno vapor. Ela está no lugar dela, de empresária:


Márcia


Modelar o que dá certo


E o que mais?


Modelei pessoas de sucesso que me inspiravam em alguma área: um ótimo líder, uma pessoa que sabia ouvir os outros e entender a maneira que pensavam, uma que entendeu a lógica de ter processos dentro da empresa, outra que compreendeu que comunicação é a base da liderança e fui rodando o PDCA, para a cada dia eu me sentir melhor, com raízes mais fortes nenhuma tempestade me derrubar mais.


E sabe que isso funciona muito bem? Tem uma frase que me inspira muito: Se eles podem, eu também posso. Se foi possível para alguém, eu também consigo. Talvez te inspire também.


Te entreguei de bandeja o estudo de caso real e irrefutável de quatro empresários que fizeram a diferença, mudaram coisas simples, tomaram atitudes necessárias e nos orgulham por chegarem onde chegaram. 


Em vez de ficar olhando a concorrência como eu fazia, estude os casos deles e se inspire!


Todos eles utilizaram um método que funciona, o método Empreendedor Líder. Segunda-feira vai para o ar o vídeo em que o Campanholo explica o que é e como funciona. Vai estar em nosso Youtube, Facebook e no Instagram. Aí do lado tem os links, curta, pois distribuímos muito conteúdo gratuito e de valor por essas redes sociais.


Conclusão


Que não é fácil a vida de empresário, isso é verdade. Mas para aquele empresário que faz o que sempre fez, tendo sempre os mesmos resultados. Lembre que feito é melhor do que perfeito!


Siga os passos:

  • Faça, introduza este conceito em sua equipe

  • Rode o PDCA

  • Melhore

  • Modele pessoas de sucesso em algum ponto que te inspira

  • Se quiser simplificar, use um método testado e que funciona


E Viva Positivamente! Não basta pensar positivo, precisa agir, viver positivamente. Esta é a diferença entre pensar positivo e Viver Positivamente: AGIR!


Vai lá e faz, faça acontecer! Comece agora, já. Pondere o que é importante na sua empresa, coloque no papel e direcione as suas ações.


O que está esperando? Começa logo!


Ah! Semana que vem vamos ter novidades, já vou te deixar de sobreaviso. Se você quer ter resultados com o método que tem mudado a vida dos empresários, tornando possível ter uma empresa que não precise do dono estar em cima o tempo todo, como estes empresários que te falei acima, fique de olho nos seus e-mails!



Aqui fica o conteúdo do Post...Aceita HTML, portanto você pode montar o conteúdo do jeito que quiser!!!

#htmlPersonalizado#